Uma Carta Para Minha Filha: Sobre Colecionar Momentos

Existem lições de vida que eu gostaria de transferir pra minha filha assim como um pai deixa uma herança para os filhos. Se eu pudesse, escreveria um testamento com todo o patrimônio emocional que eu adquiri (e ainda vou adquirir!) durante a minha vida. Mas, apesar de saber que ela vai trilhar o próprio caminho e aprender suas próprias lições de vida, eu ainda posso escrever cartas para ela, e essa é uma delas…

natalia-rosin-carta-filha-momentos-coisas

Na semana passada, foi seu aniversário de 6 anos. E como sempre, aniversários são coisa séria nessa casa!

Acho que você tem se espelhado em mim nesse sentido, porque eu amo fazer aniversário. Junto com o Natal, os aniversários são um dos dias mais felizes do ano!

Você sempre recebe seu aniversário com muita expectativa e ansiedade digna de uma criança curiosa: Perguntando todos os dias, por semanas, quantos dias faltam para o seu aniversário.

Mas o dia 07 de outubro de 2015 foi um pouquinho diferente do mesmo dia dos anos anteriores.

Talvez não diferente no ambiente, mas diferente em você. E talvez não muito diferente, mas de uma sutileza que tem mais peso pra mim do que qualquer outra coisa.

Nos dias anteriores ao seu aniversário, você não pediu presente algum. Não pediu festança. Não pediu um super passeio.

(Não que você já tivesse pedido festança antes, mas você definitivamente sempre pedia presente!)

Desde o ano passado você tem pedido por uma festinha de 6 anos em casa com o tema de maçã verde e vermelha (maçã verde é uma das suas paixões gastronômicas).

E alguns dias antes de fazer 6 anos você pediu por um café da manhã surpresa.

E só. Durante todas essas semanas antes do seu aniversário, você pediu uma única coisa:

Um café da manhã surpresa.

Você acordou no dia 07, antes do papai e da mamãe e foi pra nossa cama cobrar a surpresa. Você ficou na nossa cama enquanto nós íamos preparar seu café da manhã e abriu um sorriso de orelha a orelha quando chegamos com uma velinha acesa em cima de panquecas de chocolate em formato de coração.

Mesmo depois de acabar o café da manhã, você não perguntou “Cadê meu presente?”

Mal sabia você que sua bicicleta rosa com cestinho de metal estava esperando por você escondida no estúdio do papai.

Sabe o que essa história me mostra, filha?

Que você, na sua maturidade de uma criança de (agora) 6 anos, já entendeu e internalizou a ideia de que, na vida…

Momentos são mais importantes que coisas.

Quando você coloca um café da manhã surpresa em um patamar mais alto do que um presente comprado, você ensina a mim e a muita gente que o valor de uma vida feliz não está no que nós TEMOS, mas no que nós VIVENCIAMOS.

Não está nos objetos que ACUMULAMOS, mas nas experiências que COLECIONAMOS.

Especialmente aquelas que vivemos junto com aqueles que amamos.

E acho que você já sabe, amor aqui é o que não falta.

Que você continue colecionando muito momentos especiais,

Mamãe.

**
Querido leitor, se você quiser ler outra Carta Para Minha Filha,
vá aqui.


 

 

dicas-achar-paixao-natalia-rosin-rodape-post-3

  • Denise Siloto de Araujo

    Que lindinha! Parabéns para a #ceciliacerejinha e que ela siga colecionando essas preciosidades pelo caminho!

  • Jess

    que texto lindo :)
    saiba que tu não só ensinou a cerejinha essas preciosas lições, mas a muitas outras pessoas que sempre te acompanharam de trás dessa telinha :) <3