Por que você levanta da cama de manhã?

Houve uma época em que era muito difícil eu sair da cama de manhã. Eu enrolava, apertava o soneca do alarme 10 vezes, e quando não dava mais, saía da cama me arrastando.

natalia-rosin-porque-levantar
foto cortesia por pixabay/RyanMcGuire

Meu marido que, quando casamos, fez uma promessa fofa de fazer café preto pra mim toda manhã (ele não gostava e mesmo assim fazia todos os dias pra mim – sim, eu tenho o melhor marido do mundo <3), já estava com uma caneca de café enorme pronta pra mim.

Eu sentava no sofá e tomava aquela caneca, sem conversar com ninguém, até o café fazer efeito e eu conseguir me arrastar até a mesa pra aí sim comer meu café da manhã, arrumar a Cecília para escola, me arrumar para o trabalho e sairmos juntos de casa.

E assim eu vivi por alguns anos.

Por que eu levantava da cama de manhã?

Porque eu tinha que levantar.

Se você é como a maioria das pessoas, você levanta da cama porque TEM que levantar. Porque você tem que estar em algum lugar, tem que fazer alguma coisa ou tem que cuidar de alguém.

Quando nós achamos que só estamos levantando porque alguma dessas coisas está nos obrigando, nós nos “rebelamos”. De uma forma muito engraçada: apertando o botão de soneca mil vezes e resistindo até último minuto possível.

O que a gente não se dá conta é que a nossa resistência em levantar está mandando uma mensagem pro mundo e pra nós mesmos:

Nós preferimos ficar presos na cama, enrolando, sem fazer coisa alguma, ao invés de levantarmos para vivermos, para criarmos a vida que nós dizemos que queremos.

Pode não parecer, mas isso realmente tem um sentido mais profundo do que pensamos. Cada vez que você e eu apertamos o botão da soneca, estamos resistindo ao dia, à vida, ao que podemos criar de significativo.

Eu estou lendo o livro The Miracle Morning, do Hal Elrod, e ele cita a seguinte frase:

“O primeiro ritual que você faz no seu dia é de longe o ritual mais importante, porque ele tem o efeito de definir a sua mente, e definir o contexto, para o resto do seu dia.” Eben Pagan

Se tem uma coisa que eu pude experimentar é que como você acorda quase sempre vai ditar o tom do restante do seu dia.

Os dias em que eu acordo porque eu QUERO acordar, não porque tem uma agenda logo cedo esperando por mim, são os melhores.

Os dias em que eu tenho meu momento sozinha, de reflexão, leitura e escrita, antes da casa acordar, do dia começar de fato, são os mais produtivos e centrados.

Eu nunca fui de acordar muito cedo. Mas pra ter essa rotina matinal antes de entrar nas atividades do dia, eu precisei escolher intencionalmente acordar cedo. (Aqui neste post eu conto como eu fiz para passar a acordar cedo).

Talvez o que você precise seja somente uma mudança de palavras na sua conversa interior:

  • Troque o “Não acredito que já está na hora de levantar…” pelo “Essa é a melhor hora para eu levantar, que bom que eu pude dormir X horas essa noite!
  • Mude de “Eu não quero acordar.” para “Eu quero acordar e ter o melhor dia que eu puder ter!
  • Ou tire o “Que droga, tenho que acordar para trabalhar.” e coloque o “Que bom que eu tenho um trabalho pelo qual acordar todo dia!
  • E ao invés de dizer “Eu tenho que acordar às 6h.“, passe a dizer “Eu quero acordar às 6h.

Acordar com propósito e paixão pode mudar tudo na sua vida.

E você, por que levanta da cama todos os dias?
Porque você QUER acordar ou porque você TEM QUE acordar?


dicas-achar-paixao-natalia-rosin-rodape-post-3

  • Tania Maniero

    Natália, vc tocou no meu ponto nevrálgico. Nunca fui uma pessoa da manhã, rendo muito mais à noite. Já percebi que fico muito mais ativa no final da tarde e início da noite. Meu marido diz que preciso respeitar esse meu biorritmo. Só que quanto mais eu cedo a esse biorritmo, mais tarde vou dormir e no dia seguinte, acordar de manhã, nem pensar. Depois do Conamãe e do Artescon pensei que fosse apenas falta de motivo p/ sair da cama. Eu estava sem trabalho e sem propósito. O fato é que mesmo fazendo um trabalho que gosto (artesanato) sempre dou aquela enrolada monstro p/ sair da cama. Comecei oficialmente há pouco tempo a fazer minhas costuras profissionalmente e ainda não tenho muitas encomendas, talvez esse possa ser uma das razões pelas quais não me animo a levantar, não tenho muito o que fazer. Ainda estou na busca do real motivo que me faz querer ficar na cama mais tempo do que deveria. Já tentei algumas técnicas que funcionaram mas apenas por 2 ou 3 dias (como um viciado em cigarro por exemplo, logo cede à fraqueza e recai no vício). Suas frases são interessantes, vou tentar pensar nelas pela manhã. Gostaria muito que funcionasse =)

    • Tania, o importante é saber que pouca coisa nessa vida funciona da noite pro dia, por isso foque no processo, repetindo todos os dias até ver o resultado. Beijo e tenha um ótimo dia! :)

  • Dulci Dantas

    Oi Natália,
    Leio todos os seus posts, mas esses sobre acordar cedo estão sendo os meus favolritos. Nunca gostei de acordar cedo, mas desde que minha filha nasceu estou tendo que lidar com isto. Mesmo ela dormindo até as oito da manhã entendi que, para ter um tempo para mim, preciso acordar antes dela. Mas é muito difícil. Acabo sempre enrolando e fico na cama até ela acordar, e daí é aquela correria, me arrumo de qualquer jeito, tomo café da manhã super mal e não consigo fazer mais nada.
    A motivação pela qual acordamos foi um ponto muito interessante. Eu opero com essa lógica do “eu tenho que”, e confesso que a vida fica com tom de obrigação, o que é muito ruim.
    Obrigada por dividir estas experiências e pelas dicas. Tô te seguindo.
    Um abraço
    Dulci Dantas

    • De nada, Dulci! E obrigada por comentar :)
      Espero que esse texto te ajude a colocar um pouco mais de “quero acordar” nas suas manhãs. Um beijo!

  • louh marques

    Olá, Natália! Nossa esse texto mexeu comigo. Levantar da minha cama tm sido muito difícil pra mim, principalmente depois da depressão… Estou sem trabalho formal e nem a música, que é a minha grande paixão, tem sido motivo suficiente pra que eu volte a adquirir o hábito de me levantar mais cedo, coisa que há dois anos era super prazeroso pra mim… Adorei o post, viu!? Vou tentar recomeçar fazendo essa mudança de palavras na minha conversa interior! Um grande beijo!