Ter o hábito de escrever em um diário tem uma importância inacreditável na vida de quem quer se tornar uma pessoa melhor e crescer pessoalmente e profissionalmente.

natalia-rosin-diario-1
foto gentilmente cedida por pixabay/Kaboompics_com

E por que escrever em um diário é tão importante assim?

Esse é um hábito que tem diversos benefícios, como por exemplo: registrar a sua vida, os acontecimentos e as lições que você aprende ao longo dela, servir de registro permanente do seu progresso, clarear pensamentos e sentimentos. Te ajuda a processar eventos passados, oferece novas perspectivas para ver algo por outro ângulo, além de servir de apoio para você se conhecer melhor. É também uma ferramenta poderosa para registrar seus objetivos e acompanhar a evolução deles e ainda te faz exercitar a escrita.

Eu mesma não era muito adepta dessa prática há 2 anos atrás. Tudo o que eu menos precisava era enfiar mais uma atividade no meu dia-a-dia já corrido.

Mas eu fui convencida de que era importante e resolvi tentar. E ainda bem que eu tentei! Hoje não largo de jeito nenhum!

O meu formato escolhido para escrever foi adotar um diário virtual (e na nuvem). A minha escolha de app foi o DayOne (Mac), porque ele é exclusivamente para entradas de diário, é clean, tem interface bem bonita e ainda guarda informações de hora, localização e clima.

Apesar de saber que escrever no papel tem seu charme, eu queria ter acesso ao diário de qualquer lugar em que eu estivesse. E mais importante, sem correr o risco de perder ou acontecer algum acidente com um caderno físico.

natalia-rosin-diario-2

No processo, eu testei várias abordagens de escrita.

Comecei por simplesmente abrir o DayOne e escrever o que viesse à cabeça ou descrever os acontecimentos do dia anterior.

Mas eu queria poder extrair mais dessa prática e como sempre, ser mais intencional para buscar os resultados que eu queria ter escrevendo no diário.

Eu tentei também o 5 Minute Journal (Diário de 5 minutos). Eu achei bem bacana, mas os meus registros acabavam sendo superficiais, ao contrário do que eu queria, que era me aprofundar mais nas lições de vida e coisas que eu observava no meu desenvolvimento pessoal.

Até que, vendo uma dica do Michael Hyatt, eu adotei a ideia de escrever seguindo um modelo com perguntas que eu sabia que iam desencadear as respostas que eu queria registrar.

O meu template já passou por alterações, com perguntas entrando e saindo, mas é assim que ele está atualmente:

natalia-rosin-diario-3

Eu guardo o template numa nota de acesso rápido (Shortcuts) no Evernote e todo dia pela manhã copio e colo no DayOne.

Dessa forma eu tenho a garantia de que estou registrando tudo o que é importante para mim no momento. As perguntas são uma forma de me lembrar do que é importante e de me impulsionar a registrar o que eu quero.

Eu divido a minha escrita no diário em 3 partes: Ontem, Agora e Hoje.

#Ontem

Como eu escrevo no diário todo dia durante a minha rotina matinal, registro primeiro as coisas que eu fiz no dia anterior.

Não escrevo absolutamente todas as atividades, deixo as rotineiras de fora e foco nas tarefas de trabalho (como um registro do quanto produzi) e coisas que fiz com minha família ou para mim.

Depois escrevo as lições que eu aprendi, pensamentos e sentimentos em relação ao dia anterior. Hoje em dia consigo extrair 1 ou 2 lições de vida por dia, mas no início essa era uma das perguntas mais cabulosas pra mim.

Como tenho uma pimpolha de 5 anos, gosto também de registrar coisas que a Cecília faz ou fala, ou escrever sobre alguma fase em que ela está. Quase todo dia ela solta uma pérola! São coisas que se perderiam com o tempo e eu fico muito feliz de poder guardar essa lembrança no diário. :)

E por último nessa seção, gosto de registrar frases e partes de livros ou outra coisa que esteja lendo no momento. Como eu leio muito, todo dia tem algum highlight.

#Agora

Essa parte é direcionada a escrever sobre as coisas do momento presente.

Primeiro, tem a minha afirmação diária. Isso é novidade pra mim. Há uns meses tenho praticado usar afirmações diárias. Não tenho uma diferente a cada dia, repito uma mesma por semanas, de acordo com o meu momento presente.

Gosto também de registrar o progresso do hábito que estou implementando no momento. É ótimo para ver a evolução e me manter comprometida com a prática diária.

Também uso essa seção para anotar como estou me sentindo no momento e pelo menos uma coisa pela qual sou grata.

Nem sempre é fácil saber colocar em palavras o que estou sentindo, mas depois que comecei a registrar isso no diário, tenho prestado muito mais atenção aos meus sentimentos. Tem sido um exercício muito bom.

Já escrever algo pelo que sou grata é muito divertido! É uma forma de exercitar a gratidão e ser criativa, já que todo dia eu tento pensar em algo diferente.

#Hoje

Essa seção já teve mais perguntas, mas com o tempo vi que eu poderia simplificar.

Hoje a única coisa que eu quero quando termino minha rotina matinal é determinar quais são meus planos para o dia.

Assim eu clareio os pensamentos sobre as coisas que eu quero realizar de acordo com os meus objetivos.

É também como se eu me comprometesse a realizar essas coisas, já que agora elas estão escritas na minha frente.

Quando eu não consigo cumprir todas, por um motivo ou outro, no dia seguinte, lá na primeira pergunta do #Ontem, eu escrevo porque não fiz aquela tarefa, e isso potencializa o poder do comprometimento e me ajuda a enxergar quando estou tentando colocar comida demais no meu prato. Com o tempo eu vou aprendendo a não abraçar mais tarefas no meu dia do que eu posso.

E esse é o meu ritual diário de escrever no diário! (Ha!)

Você pode achar que seguir um modelo de perguntas assim acaba estendendo demais o tempo para escrever no diário, mas hoje eu gasto 20 minutos ou menos pela manhã.

A ideia não é escrever uma redação para cada pergunta, eu tento ser o mais objetiva possível, e isso foi através de prática também. No início eu colocava um timer e tentava cumprir o tempo determinado. Agora já ficou natural.

Você pode achar também que ter esse template torna o processo de escrita meio quadradão, mas pra mim é o contrário. Ele me libera de ter que pensar todo dia “Hummm sobre o que eu vou escrever hoje?“. Eu já começo sabendo o que eu quero escrever, o que facilita muito.

Se você quiser, pode baixar o meu template abaixo e usá-lo como base para criar o seu. É provável que você queira se fazer perguntas diferentes, mas se quiser simplesmente copiar as minhas, fique à vontade.

>> Template diário | Natália Rosin <<

E você: Escreve em diário? Qual o formato que você usa?


 

dicas-achar-paixao-natalia-rosin-rodape-post-3