Antes de mais nada, eu quero agradecer a vocês que sempre mandaram mensagens e emails dizendo que estavam com saudades, e pedindo para eu voltar ao blog. Sempre li essas mensagens com uma pontadinha no coração de agradecimento, e me sinto honrada por poder contar com esse suporte de vocês.

Fazer X Apoiar quem faz, Natália Rosin

Eu sempre quis criar, sempre. Não havia um dia durante a minha infância em que eu não estivesse envolvida em algum projeto ou pensando em algum. Não havia tédio durante as férias em casa quando eu era adolescente, porque eu sempre tinha o que fazer enfurnada na minha escrivaninha no quarto. Enquanto meus amigos de escola diziam ansiar a volta das aulas, dizendo não aguentar mais ficar em casa entediados, eu estava lá sonhando pra que eu tivesse mais tempo de férias pra terminar tal projeto.

Durante o meu ginásio, eu sonhava em ser artista. Durante um tempo dizia que queria ser escritora.

(Tudo porque na 5ª série, a minha história, dentre todas da classe, foi a escolhida para virar um livro. Um livro de tecido, com a minha história, ilustrado pelos alunos, para participar de uma gincana no colégio.)

Logo eu achei que talvez eu não tivesse o necessário para me tornar escritora, e que aquela experiência de ter criado algo legal para a classe foi importante para me mostrar que eu era capaz, e que se algum dia eu quisesse voltar a isso, seria uma ótima opção, porque escrever é uma coisa que eu gosto de fazer.

Hoje em dia, eu continuo amando pensar em projetos e executá-los manualmente. Dá pra você ter ideia disso se você é um leitor das antigas do blog. Mas o que eu tenho percebido, no último ano ou mais, é que na verdade ter vivido o que vivi me possibilita um par de coisas muito além do que eu imaginava lá atrás, quando eu queria ser artista.

Me possibilita conhecer inúmeras pessoas que tem mais talento artístico do que eu, e a pensar de que formas eu posso contribuir para apoia-las.

Me possibilita levantar a bandeira do que eu acredito e fazer o mundo à minha volta melhor.

Eu acredito nisso, e enquanto deixo o fazer com as pessoas mais criativas e talentosas desse Brasil, eu quero fazer a minha parte para dar o suporte pra esse povo mostrar o seu trabalho e ser feliz fazendo aquilo que ama.

Agora uma PERGUNTA: Se você puder tirar uns minutinhos pra deixar um comentário aqui, me diz uma coisa que eu quero muito saber: Você faz aquilo que ama?


dicas-achar-paixao-natalia-rosin-rodape-post-3