Eu sempre achei que funciono muito melhor de manhã. Quando acordo cedo eu consigo fazer muito mais coisas em menos tempo. A manhã é super produtiva e antes do almoço eu sinto que já resolvi um monte de coisa. O problema é que com a correria do dia-a-dia, eu dormia muito tarde, normalmente depois da meia noite, e acordava mais tarde do que gostaria, por volta de 7, 8h da manhã, ou acordava cedo mas passava o dia como zumbi.

Como eu passei a acordar cedo, e o que você pode fazer para conseguir também, Natália Rosin

Foi então que eu realizei que essa não era uma rotina sustentável por muito tempo e nem saudável pra mim. Eu não queria estar sempre cansada. Eu queria ter tempo de fazer exercício físico pela manhã. Eu queria conseguir aproveitar melhor o meu período mais produtivo do dia. E pra fazer isso acontecer, eu teria que provocar uma mudança de hábito grande na minha vida.

Foi quando eu vi um vídeo do autor de O Poder do Hábito, e pegando alguns insights do vídeo, resolvi tentar do meu jeito.

Esse é um post sobre como eu comecei a acordar cedo e ter uma rotina matinal consistente, e eu recomendo fortemente que você, com essas dicas, encontre o seu caminho para ter também uma rotina matinal.

Vamos lá então pra eu te contar como foi que eu consegui passar a acordar cedo todos os dias.

1) Sabendo porque eu queria acordar cedo.

Parece óbvio falando assim né? Mas não se engane, se não tiver muito claro pra você o porquê de querer implementar um novo hábito, vai ser bem difícil mantê-lo no longo prazo.

O meu porquê era bem real pra mim: ter mais qualidade de vida, cuidar da minha saúde, me organizar e trabalhar de forma mais inteligente, para conseguir aproveitar melhor o meu dia.

2) Não tentei implementar mais de um hábito ao mesmo tempo.

Ahhh isso é muito importante! Eu já havia tentado outras vezes, mas errei em querer criar dois, três hábitos novos ao mesmo tempo. Por exemplo, eu já tinha tentado criar uma rotina matinal que envolvia: acordar cedo + ler + meditar + escrever no diário + fazer atividade física. Todas eram coisas que eu já fazia, mas não de forma consistente. E nada mais natural eu querer torná-las atividades diárias ao mesmo tempo, afinal elas estavam relacionadas, certo?

Errado!

Se já é difícil implementar um novo hábito, imagina vários ao mesmo tempo. O meu conselho é: vá com calma, mesmo que você ache que vai dar conta de dois hábitos novos juntos, no meio do caminho você vai ver que achou errado. Isso eu aprendi por experiência própria. =P

Dessa vez, a única coisa que eu queria de verdade que fosse consistente era acordar às 5:30h (comecei acordando às 6h e gradativamente passando para as 5:30h). Ler seria algo natural e fácil de fazer depois de acordar e escrever no diário fazia parte do pacote porque eu queria registrar a experiência como um todo. Mas não considerei que eram coisas “obrigatórias”: se eu acordasse às 5:30h e considerasse outra coisa mais importante pra fazer nos primeiros 30 minutos do dia, eu fazia sem dor na consciência. O importante era ter um tempo sozinha antes de entrar de cabeça nas tarefas do dia-a-dia.

3) Acordei cedo ininterruptamente por, no meu caso, 30 dias.

Mesmo aos sábados e domingos.

Veja, pra mim, não adiantaria acordar cedo só nos “dias de trabalho” e no final de semana não. A mudança da rotina no final de semana iria acabar cobrando seu preço nos outros dias e eu não iria conseguir manter o ritmo. E no meu caso, eu queria aproveitar bem a manhã de sábado e domingo pra fazer outras coisas tão importantes quanto o trabalho.

E o período de tempo precisa ser determinado por você. Não quer dizer que depois desse período você vai relaxar. Mas se você foi intencional nesse período, depois vai ficando cada vez mais fácil manter o ritmo.

4) Criei gatilhos

Pra conseguir acordar cedo, antes de mais nada, eu precisava criar gatilhos para a hora de dormir. Isso começava com ter uma hora definida para começar a me aprontar para dormir. Eu queria dormir às 9:30h da noite, então às 8:45h eu sabia que tinha parar o que estava fazendo e começar a me preparar. Isso incluía: checar qualquer coisa que pudesse estar pendente na casa > trocar de roupa > escovar os dentes e afins > ligar o celular no carregador no criado-mudo e acionar o despertador > desligar a luz do quarto e ligar a do abajur > ler 20-30min de um livro de ficção pra ajudar a relaxar > dormir.

Se eu não dormisse as minhas 8 horas necessárias, eu até conseguiria acordar cedo, mas teria sono durante o dia e minha produtividade não seria tão boa. Uma coisa que eu percebi depois que comecei essa rotina matinal (e noturna) foi que eu não senti mais aquele sono que sempre teimava em bater depois do almoço. Ou seja, eu passei a acordar às 5:30h da manhã, mas só ia sentir aquela sonolência lá pras 8, 9h da noite. Desde que eu dormisse as horas necessárias, não tinha mais sono pós-almoço.

5) Escolhi as minhas recompensas diárias

Uma coisa que me ajudou a ter consistência no processo foi me permitir recompensas, tanto pra hora de acordar quanto pra hora de dormir. No meu caso, minhas recompensas para acordar eram: (1) tomar uma xícara de café como primeira coisa do dia, enquanto lia. Só de saber que aquele primeiro gole de café ia esquentar meu corpo e me fazer despertar, já valia a pena acordar. E (2) ver o nascer do sol pela vista da varanda. Pra hora de dormir, ler 1 ou 2 capítulos de um livro de ficção era algo que já me fazia ansiar pela hora de deitar à meia-luz e ler.

(um adendo: eu quase nunca me permito ler livros de ficção porque eu sei que não vou ter tempo de ler todos os livros do mundo que eu gostaria, então prefiro investir meu tempo em livros de não-ficção, que é onde eu mais aprendo, reflito e cresço pessoalmente.)

(um segundo adendo: não que livros de ficção não sejam importantes, mas eu gosto muito de aprender coisas novas, e comigo isso acontece mais em livros de não-ficção. Mas eu também gosto muito de ler ficção e pra mim eles são pra relaxar e me divertir.) Ok, voltando…

Implementar um novo hábito não é fácil, e integrar as recompensas à rotina diária é o que vai te ajudar no dia-a-dia, elas devem ser coisas pelas quais você vai esperar ansiosamente. E não precisam ser grandes coisas, como você pôde ver no meu exemplo.

6) Antecipei prováveis dificuldades

Desde o início eu sabia: Dificuldades vão acontecer.

E aconteceram. Na metade dos 30 dias, eu comecei a sentir muita dificuldade de acordar (e me manter acordada depois de levantar). Por alguns dias eu levantei 30 minutos depois do despertador tocar, o que reduziu o meu tempo pra ter minha rotina matinal, mas eu entendi que fazia parte, eu ainda estava me acostumando ao novo hábito.

E pior, num dos últimos dias, eu teria um compromisso super tarde da noite, e fui dormir às 3h da manhã, e é claro que eu não iria conseguir acordar às 5:30h! Minha primeira reação seria me descabelar, mas ao invés disso eu aceitei esse imprevisto e acordei mais tarde naquele dia, como se eu tivesse dado uma pausa. E pronto, recomecei no dia seguinte como se nada tivesse acontecido.

O importante é ficar firme mesmo que você falhe 1 dia ou que no meio do caminho pareça difícil.

Uma nota: Se você quer fazer algo diferente do que você está acostumado a fazer, talvez você tenha que conversar com as pessoas com quem você convive, pra que elas não joguem no time contra, e não que elas façam isso por mal. Por exemplo, pra implementar o hábito de acordar cedo todos os dias, eu conversei com o Gustaf (el maridón) sobre o que eu pretendia e porquê eu queria passar a fazer isso. Se eu não conversasse, ele talvez não entendesse porque eu não poderia ficar acordada mais tarde para assistir um filme, ou porque nós teríamos que passar a jantar mais cedo.

O caso é que é importante esclarecer expectativas desde o início para as pessoas que estão dispostas a te apoiar.

7) Me diverti!

Quando eu decidi que iria passar a acordar cedo eu pensei: Preciso me divertir no processo, preciso que ele seja agradável pra que eu mantenha esse hábito pra vida!

Eu queria manipular o processo pra que minhas lembranças futuras fossem positivas. Então pra isso, além das recompensas, eu criei o #30ceusmeus, que nada mais era do que uma foto diária que eu postava no meu instagram, do céu que eu via pela sacada da varanda. Como eu sabia que ver o nascer do sol já era uma coisa que me motivava a acordar cedo, registrar em fotos era algo que ia ser ainda mais divertido.

#30ceusmeus no instagram @natzrosin
#30ceusmeus no instagram

Outra coisa também importante pra mim era usar um despertador “agradável”. Sabe quando você fica traumatizado com um som ou música que você usou por muito tempo e que só te fazia acordar sobressaltado? Eu já tinha passado muito por isso, já tinha ficado enjoada de muitos toques de despertador, e o pior pra mim era acordar já “assustada” com aquele toque terrível. Foi aí que eu descobri o Morning Sun (app gratuito para iPhone) e ele salvou minha vida, principalmente porque tem sons da natureza que vão crescendo gradativamente de forma bem suave, me fazendo acordar quase que sem esforço (eu escolhi o toque de passarinhos ^^).

Depois de passar 30 dias praticando acordar cedo de forma extremamente intencional, eu celebrei com uma fatia de bolo de chocolate deliciosa! Foi a minha forma de me dar um tapinha nas costas e dizer: Yeah! Você conseguiu, Natália!! \o/ :D

Mas não foi o fim da linha, porque como eu falei, eu queria ter esse hábito de acordar cedo pra vida toda, e continuei me esforçando para ficar firme. É claro que, em diversos dias desde então, eu não acordei cedo por um motivo ou por outro, mas esse não é mais o meu padrão, essas são exceções que acontecem e eu me permito, sem crise e sem arrancar os cabelos.

Porque eu sei que, no dia seguinte, eu vou voltar à rotina matinal que eu escolhi ter.

Pergunta: Como é a sua manhã ideal? Você acorda cedo?

dicas-achar-paixao-natalia-rosin-rodape-post-3