Hoje em dia, parece que estamos cada vez mais reconhecendo a importância de estar no controle das nossas vidas, mas isso não quer dizer que estejamos colocando isso em prática de verdade.

natalia-rosin-revisao-semanal
foto cortesia de pixabay/startupstockphotos

Talvez por não saber por onde começar, a maioria das pessoas vive nesse ciclo reativo de encarar o dia-a-dia. Alguém que vive nesse modo reativo não faz o que quer e o que devia estar fazendo. Ele faz o que os outros querem.

Mas então como sair desse ciclo e começar a viver uma vida de forma proativa, no controle das suas ações e sem estresse com a rotina?

O primeiro passo para se organizar é implementar um sistema de gerenciamento de tarefas confiável, que possibilite retomar o controle dos seus dias e que contribua de verdade para a sua produtividade.

O segundo é criar uma rotina de Revisão Semanal para manter esse sistema atualizado. Essa é uma ideia que eu abracei de primeira quando li o livro Getting Thing Done, do David Allen. Olha aqui ele falando um pouco sobre a Revisão Semanal:

“Se você é como eu e a maioria das outras pessoas, o mundo vai vir até você a uma velocidade maior do que você consegue acompanhar, não importa quão boas sejam as suas intenções. Muitos de nós parecemos ter em nossa natureza, de forma consistente, o hábito de nos envolver em muito mais coisas do que temos condição de administrar.

Esse redemoinho de atividade é precisamente o que torna a Revisão Semanal tão valiosa. Ela incorpora algum tempo de captação, reavaliação e reprocessamento para manter você em equilíbrio. E simplesmente não há como fazer esse reagrupamento tão necessário enquanto você tenta fazer o trabalho diário.

Tudo isso quer dizer que seu sistema não pode ser estático. Para que possa dar suporte às escolhas apropriadas de ações, ele precisa estar sempre atualizado. E deve estimular a avaliação consistente e adequada de sua vida e trabalho, em vários horizontes.”

Como eu disse no post anterior sobre listas de tarefas que funcionam, a revisão periódica é a cereja do bolo de um sistema de tarefas confiável. É como você mantém o controle sobre as coisas que você tem na sua frente.

Eu faço uma Revisão Semanal, como o David Allen sugere no seu livro, ao final de cada semana. Ele tem a sugestão dele de como deve ser essa revisão, mas a minha é assim:

  • Olho minha bolsa, caderno e organizador de mesa à procura de papéis soltos e lembretes. Jogo fora o que for preciso, e o que precisar guardar, escaneio e arquivo no Evernote. No caderno geralmente eu encontro algo que anotei pra pensar depois ou uma possível ação, e aí jogo isso para o Nozbe.
  • Reviso minhas finanças.
  • Reviso o calendário da semana que passou. Olho meus compromissos passados à procura de lembretes de ações que eu preciso tomar, follow ups… Anoto as tarefas no Nozbe.
  • Reviso as próximas semanas do calendário. Olho os compromissos futuros para ver o que preciso fazer para me preparar pra eles.
  • Reviso meus objetivos do ano, atualizo o que precisar, vejo se estou caminhando como esperava com as ações que vão me levar a esses objetivos.
  • Reviso minhas listas no Nozbe. Passo por todos os projetos, atualizo o que for necessário e busco na minha mente se tenho algo ainda que precise passar para o sistema.
  • Defino minhas tarefas da semana com base nos meus papéis principais na vida. (para saber mais sobre o que eu tô falando aqui, acesse este post aqui)

Parece um trabalho grande fazer isso toda semana, mas é algo que vale o investimento. No início pode ser mais trabalhoso, mas com o tempo você se acostuma e vai achar difícil começar a semana sem essa revisão.

E lembrando, não adianta nada implementar esse sistema e se estressar por causa dele. Se eu tive algum final de semana atípico e não tive muito tempo para fazer a revisão semanal, eu faço uma versão mais light dela, talvez só revisando as listas de tarefas e definindo as tarefas da semana. Na seguinte eu corro atrás do prejuízo.

E você: Faz uma Revisão Semanal? Se não, vai passar a fazer depois de ler esse post? ;)


dicas-achar-paixao-natalia-rosin-rodape-post-3