5 razões para não querer fazer tudo sozinho

Vou te contar um segredo: Eu sempre tive muita dificuldade de trabalhar em equipe. Quando no processo de um projeto, eu nunca soube muito bem como dividir.

5 razões para não querer fazer tudo sozinho, Natália Rosin
foto de JD Hancock

Deixa eu te dar um exemplo para ilustrar o que eu estou falando: Feiras de Ciência. Não sei como era na sua época de ginásio, mas na minha escola, geralmente você tinha um grupo de 5 ou 6 pessoas, escolhia um tema sobre o qual iam apresentar, e partiam para as pesquisas e materiais que iam usar para sustentar aquele tema. Pois bem, acho que isso é uma lei universal dos grupos escolares, mas você sempre tem: 1 ou 2 que fazem o trabalho duro, e 4 que só pegam carona e decoram o que tem que apresentar 1 dia antes, certo?

Nos meus grupos, não era diferente. Todo ano nós dividíamos o trabalho, mas cada um fazia sua parte mal e porcamente. Teve um ano que eu decidi: Quer saber, eu vou fazer esse trabalho sozinha. Montar o conteúdo, preparar os materiais e só dividir com o restante do grupo quem vai falar o que. E vamos ver no que dá, vamos ver se vai sair um trabalho bacana. E foi basicamente isso que eu fiz.

E o trabalho ganhou em 1º lugar do colégio.

Talvez tenha sido aí que começou o meu trauma de esperar pelos outros para fazer um trabalho. Talvez tenha sido aí que eu confirmei que é melhor fazer tudo sozinha.

Acredito que essa dificuldade em trabalhar em equipe (e delegar!) atinja muita gente, não só eu. Por isso resolvi contar aqui o que me ajudou (e tem me ajudado ainda) para melhorar nesse aspecto, e talvez sirva para você também. Essas são as minhas 5 razões para não querer fazer tudo sozinha:

1) Você não é o melhor em tudo. 

Doa o quanto doer, essa é a mais pura verdade. Você não é o melhor em tudo, e enquanto estiver tentando fazer tudo que chega às suas mãos, você vai deixar de fazer bem aquilo no que realmente é bom. É muito mais proveitoso você  focar em menos coisas e guardar seus esforços e energia para elas. Mas e aí você pode se perguntar: “Ok, mas… no que eu sou bom?” (Porque enquanto você tenta fazer tudo ao mesmo tempo, as suas reais habilidades podem passar despercebidas, certo?). A resposta é: Aquilo que você gosta de fazer, aquilo que pessoas próximas dizem que você é bom! Tire um tempo pra pensar sobre isso e tentar chegar na sua resposta.

2) Você é um recurso limitado.

Você é 1, tentando cumprir suas responsabilidades em 24h, 30 vezes por mês. E ainda, dentro dessas 24h, você tem que dormir (e bem, por favor), tomar banho, se alimentar e (geralmente) se locomover. Essas são coisas que ninguém pode fazer por você e só nisso já vai quase metade das suas 24h diárias. Faz as contas. Se você, como eu, quer provocar alguma mudança no mundo à sua volta, você precisa dar um jeito de reservar para si as tarefas mais importantes e encaixá-las nessas 12h que você tem por dia.

Vale falar que passar tempo com o seu marido/esposa, brincar com seus filhos, relaxar, se divertir e etc também são coisas que só você pode fazer, e elas são tão importantes quanto a tarefa mais importante do seu trabalho.

3) Você não vai viver pra sempre.

Se você estiver no caminho de construir alguma coisa: um negócio, uma organização, um trabalho artístico ou qualquer coisa assim, e estiver tentando fazer isso tudo sozinho, imagina quando você morrer (porque um dia você vai, sabe disso né?). Tudo que você construiu vai ser enterrado junto com você? Ou você vai passar para as pessoas que trabalham ou que vivem com você aquilo que você sabe, para que o seu legado continue?

Ou então, o simples fato de trabalhar em equipe, e dividir as tarefas com outras pessoas, vai te possibilitar dividir o seu conhecimento, os seus valores e inspirar outras pessoas. E isso já é um legado suficiente para se deixar.

4) Porque feito é melhor que perfeito.

Você acha que só você faz aquilo muito bem, e que ninguém vai fazer tão bem quanto você. Sinceramente, isso é verdade em grande parte das vezes. Mas já ouviu aquela máxima “Feito é melhor que perfeito”? Ela serve também pra isso. E nada impede que você ajude e treine outras pessoas para fazerem da melhor forma possível.

5) Porque as pessoas à sua volta são talentosas.

Você vai se surpreender com o quanto as pessoas podem realizar tarefas de uma forma muito melhor do que você realizaria. Porque se é verdade que algumas coisas ninguém fará tão bem quanto você (e você pode conviver bem com isso, porque lembra? Feito é melhor que perfeito), é também verdade que, em outras coisas, pessoas mais capacitadas e que são boas naquilo podem dar um up no seu trabalho. E mesmo pessoas não tão capacitadas de início podem se desenvolver com ajuda e treinamento seus. Acredite nas pessoas.

E você? Também tem dificuldade em dividir o trabalho com outras pessoas? Deixa sua resposta aí nos comentários!


dicas-achar-paixao-natalia-rosin-rodape-post-3

 

  • Nanda

    Com quem está comprometido, eu não tenho problema nenhum em dividir trabalho porque eu sei que vai dar certo. Agora o ruim é quando ninguem quer nada aí fica dificil, como nos grupos de trabalhos e feiras de ciências kkk é dificil, é como nada contra a correnteza kkk Mas né realmente ninguem consegue fazer nada sozinho, pra um integrante ficar sem fazer nada, vc vai ter q sobrecarregar alguém, e geralmente sobra pra mim e minha mãe tadinha q vem me ajudar quando pode. Beijo

    • carolina montezuma

      Nanda,

      Já passei por problemas parecidos/iguais. Aprendi na velha máxima do Pequeno Príncipe que “tu és responsável por aquilo/quem cativas”. Sendo assim, uma estratégia para burlar o descompromisso alheio é se aproximar de pessoas que realmente somem para o seu crescimento pessoal e desenvolvimento do trabalho proposto. Na visão profissional é preciso colaborar com quem colabora. Fuja de quem te faz perder tempo!
      Há pessoas extremamente talentosas e mais dispostas a contribuir com teus projetos. Se junte a elas!
      Beijos,
      Carol Montezuma.
      acmontezuma@hotmail.com

    • Carolina, obrigada pela luz sobre o assunto! O melhor a fazer mesmo é se aproximar de pessoas que te levam pra frente. :)

  • Rosanne Garcia

    adorei este texto e confesso que na escola sempre fui assim, mas na epoca que entrei para a faculdade a coisa mudou, era pouco tempo e muito conteudo e muitos trabalhos ao mesmo tempo.começamos a dividir e cada um levava uma parte para pesquisar e imprimir e depois juntavamos tudo e apresentavamos. O mais interessante é que na hora de colocarmos os nomes, colocarmos o que cada um fez de forma que o professor saberia ver bem o esforço de cada um. No artesanato, infelizmente não tenho com quem dividir nada, porém quando estou nele começo a mesmo culpada e me cobrando, dividir o resto com meus filhos de 11 anos, estou deixando eles estudarem mais sozinhos, cuidando da casa, varrendo, colocando a roupa pra lavar e sabe q eles estao dando conta?!!!! Um orgulho! Embora eu sinta muita culpa de nao fazer tudo para eles. Mas eu sei: melhor uma mãe na mão do que duas voando kkkkk sei que se for a mulher maravilha, bom vai ter algo que vai me derrubar, até super herói tem um ponto fraco não é?
    bjs